O Conto da Aia | Diário de Leitura

10:50:00

Gostei tanto de fazer diário de leitura ~ clique aqui se deseja ver o diário de leitura de A Guerra dos Tronos ~ que resolvi fazer novamente e pretendo fazer sempre. Lembrando que pode haver spoilers, portanto, é para quem já leu o livro ou quem realmente não liga para spoilers.


SPOILER ALERT

"Dia" Zero - Agora são quase 11 horas, do dia 16/07 (oficialmente o primeiro dia da MLI), no dia anterior acabei de ler Neve e Cinzas, a casa está cheirando chocolate, porque tem um bolo assando e um ganache descansando. Minha mãe saiu para comprar pimenta, já que ela deixou cair o pote no chão e me mandou descer para ficar de olho no bolo assando. Acabei de ler o vídeo da Tag dos 50% da Tati Feltrin e ela elogiou O Conto da Aia e esse foi o momento que realmente decidi ler esse livro hoje. Minhas expectativas é que será um livrão, daqueles que dão um tapa na cara do leitor.

1º Dia - lido até a página 55: No começo eu fiquei "o que está acontecendo?". Só pude notar que a sociedade foi redividida, existe uma hierarquia e uma guerra acontecendo. Uma parte muito interessante foi o encontro das Aias com os turistas japoneses e eles perguntaram se elas eram felizes, me lembrou a relação dos ocidentais para as mulheres árabes. Outra coisa foi quando a autora falou sobre a liberdade, antes havia a liberdade para... e hoje a liberdade de..., incrível! O começo foi meio arrastado e muito descritivo, mas quando as coisas vão tomando forma esse "arrasto" é substituído por curiosidade.
  • Teoria: As Aias servem para engravidar, já que o sexo só elas conseguem.
2º Dia - lido até a página 114: O começo da leitura de hoje está um pouco devagar. A autora não fala nada, ela mostra e somos nós, leitores, que temos que pegar o detalhe. Inclusive, eu acho que a teoria que pensei no primeiro dia está certa, depois que a Offred visitou o médico e ela perguntou se queria engravidar dele, já que seu Comandante já estava velho e, provavelmente, estéril. O passado dela também está surgindo aos poucos e acho estranho de como essa sociedade mudou tanto em tão pouco tempo, ela chegou a ter uma vida normal.

3º Dia - lido até a página 156: Oush... A hora do parto é praticamente um ritual, e é tudo parto normal, não tem nenhuma intervenção médica! Pior é a Esposa, que fica lá de boas e depois só vem faz uma coisinha lá e o bebê fica com ela. Pesado. Uma coisa que gostei bastante é a ausência de uma linha do tempo linear, portanto, ter que descobrir o período em que ela está, é muito interessante (quando a autora sabe escrever). Uma coisa que me incomodou também é a higiene, já que ela não toma banho todo dia e ainda usa manteiga como creme. Outra coisa interessante também, foi a autora falando dos componentes químicos e da radiação que contaminou os humanos, aquilo é uma crise reprodutória, mas será que aquele é o melhor jeito de supera-lá?


4º Dia - lido até a página 205: E o que aconteceu com a Moira depois que ela fugiu? Não sei se é certo, mas eu torço pra Offred aceitar a oferta do médico em engravida-lá, porque se ela não conseguir o que vai acontecer? Coisa boa não deve ser. O comandante a chamando para brincar de mexe-mexe, que coisa estranha, tenho medo dela se dar mal.

5º Dia - lido  até a página 255: A relação com o Comandante vai resultar em que? Será que em fetiches sexuais? Tenho medo. A amiga de passeio dela não ser crente é muito bom, será que elas vão fugir? Finalmente um pouco de liberdade. (Só não faça merda)

Final: 6º Dia - lido até a página final 366: Ela narrando como foi a transformação para aquela sociedade foi uma das melhores partes. As mulheres perdendo seus direitos e ela passando a se ver como propriedade do Luke. E, a Esposa do Comandante perguntou se ela não queria engravidar do Rick. Mas, é estranho, porque, se está difícil engravidar e ter um filho "normal", as mulheres férteis deveriam ser endeusadas e protegidas. No entanto, elas são marginalizadas, o fato de poderem engravidar foi motivo de inveja entre as outras mulheres e os homens continuam a não querer perder seu poder, por isso se ela não engravida não é culpa do homem é culpa da mulher. Além disso, eu adorei o final em aberto e depois a transcrição da palestra, afinal, ela levanta vários pontos interessantíssimos, por exemplo: poderia ser um homem que escreveu aquilo! Você também pode escolher se ela sobreviveu ou não. Esse livro é incrível.

Minhas expectativas estavam certas.

You Might Also Like

2 comentários

  1. Nossaa eu achei bem interessante esse Livro e bem diferente e adorei o seu diário de leitura.

    Já tinha razoavelmente visto esse livro, mas não dei importância, vou aguardar a resenha completa e não li muito porque não sou muito fã de spoilers.

    Um beijo

    Jhenny

    https://sussurrandosonhos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Fico feliz que tenha gostado! Vou colocar a resenha (assim como todas as outras) no instagram! Mas é um ótimo livro, recomendadíssimo :)

    ResponderExcluir